Frustrando as Paixões


31A maioria das pessoas passam a vida toda abdicando de suas paixões para fazer outras atividades que são mais convenientes. Quando falo de paixão estou usando a palavra em sentido amplo. Quanto a conveniência estou me referido a fazer aquilo que agrada aos outros ou que trará algum retorno material.

Refletindo a respeito na situação, imagino dois cenários:

O primeiro seria se conseguíssemos atender plenamente nossos desejos. Essa parece ser a opção ideal. Eu penso que não seria, pois com o passar do tempo as atividades diárias perderiam o significado e consequentemente as conquistas deixariam de ter seu encanto peculiar. A vida deixaria de ter sentido.

O outro cenário, mais próximo da realidade, seria o que já citei.  Não é agradável, as vezes é até mesmo triste, mas faz parte do processo de construção individual de cada um. Frustrações, descobertas, decepções, anseios, medos, entre outros sentimentos, são desagradáveis, mas servem para nos fortalecer e atribuir os valores as nossas conquistas.

É certo que vivencio esse processo, se por um lado gostaria de fazer muitas outras atividades, diferentes da que pratico, que eu fui conduzido ou escolhi como uma das inúmeras opções, por outro lado não haveria a menor graça caso conseguíssemos tudo que almejamos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s