Laços de flores


29

Meu amigo Tsun é um cara complicado… Vejam só o que me propôs: “Flor, vamos escrever sobre algo que, se tivéssemos feito, nossa vida seria diferente do que é hoje.” E eu quase não dormi com essa missão quase impossível!

Lá fui eu revirar as memórias da minha curta vidinha para lembrar o que eu deixei de fazer que poderia ter mudado todo o meu destino! Taí uma palavra difícil também: destino. Será que existe? Mas isso é outra discussão e eu estou mesmo é querendo fugir do desafio…

Estou aqui psica com essa tal coisa que poderia ter mudado a minha vida. Não sei… Talvez eu tivesse feito outro curso, ou tido outros namorados, ou fugisse num circo e isso mudasse minha vida toda. Mas acho que o que realmente poderia mudar minha vida toda seria eu aprender a fechar a boca em todos os sentidos.

Já contei para vocês aqui que adoro bocas. Quando me apego a alguém é porquê acho a boca  uma coisa linda! estou falando de boca no sentido real e no sentido figurativo, do que saia da boca. E tem uma explicação para eu gostar tanto de bocas: não consigo controlar a minha!

Pois bem, o que poderia ter mudado toda a minha vida seria exatamente eu ter controlado minha boca em vários momentos da minha vida. Quando criança, fui muito solitária porquê da minha boca saiam palavras adultas, o que intimidava outras crianças. Quando adolescente, acho que falava tanto que assustava os candidatos a crush. E me interessava pelos que falavam muito também. Na idade adulta minha grande boca me fez perder oportunidades profissionais porquê dela saem verdades que algumas pessoas não gostam de ouvir. E ainda adulta, expor meus sentimentos sem resguardo nem anteparos me deixa mal em muitas situações.

Então, querido amigo Tsun, se o desafio é o que eu poderia fazer e não fiz que mudaria toda minha vida, a resposta é: poderia ter virado uma planta carnívora, que soubesse absorver em vez de se dar, que pudesse se fechar e digerir em lugar de se abrir e se espalhar. Teria sido tudo diferente: menos dores, menos cores, menos rancores. Mas, em compensação, querido amigo, você não teria tido a oportunidade de conhecer minhas flores. Elas surgem, murcham, vão e vem, junto com meu sorriso e com o que sai da minha boca e com tudo que sou. Estão nos meus laços, nos meus passos e abraços.

Como eu gosto de desenhos animados, a música do Cavaleiros do Zodíaco poderia ser a trilha sonora do tema da semana:

Laços de Flores (música de um dos episódios de Cavaleiros do Zodíaco”

“Como as cores num retrato o tempo insiste em desbotar

As lembranças que eu guardei estão todas a murchar

Ao fechar os olhos me transporto a um dia mais feliz

Em meus sonhos modificar um destino tão sombrio

O calor do dia envolve nossas mãos

Um fantasma do tempo, sentimento que não chega ao fim

Misturando amor e dor, seu sorriso sempre viverá dentro de mim”

Apenas trocaria a última frase: a despeito de qualquer adversidade, e este texto me lembrou muitas,

lembrou muitas, meu sorriso sempre viverá dentro de mim.

Que muitos laços de flores tragam colorido para suas vidas!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s