Adeus mundo! Mas não te acho cruel…


20“Pretinha, o que você faria se tivesse somente 30 dias de vida?” Ele me perguntou. Sorri aquele meu sorriso meio bobo que vem quando a resposta não está pronta.

Mudei de assunto, desconversei. “Que pergunta boba!”, tive vontade de dizer. Mas a pergunta ficou martelando na minha cabeça.

Dormi um sono angustiado, acordando de vez em quando, consciente de que a vida tem mesmo um fim, embora a gente nem queira lembrar disso.

Para espantar o medo do fim, ou talvez para tentar dar alguma organização para o futuro, resolvi fazer um poeminha…

Estou aqui pensando no fim

Mas nada tem fim, só começo

Quando você me vira a mente do avesso

Me fazendo pensar no quero esquecer.

Mas se é para é para lhe responder

Digo que no tempo curto que me resta

Tudo nessa vida será festa.

A lua vai brilhar e é só pra mim

Eu vou me pintar de Arlequim

Mas bailarina é que vou ser, enfim.

Nesses trinta dias

Serão tantas alegrias

Que nem saberei se estou indo,

Ou se a vida é que está vindo

Me carregar num grande maremoto

Onde eu vou surfar na onda.

Vou tocar na sua banda

Vou correr contra o vento

Despenteada, descalça e leve.

Vou te cobrar até o que não me deve:

Aquele abraço mais comprido

Um sorriso divertido

E um beijo dado com o olhar.

Posso até te dar adeus, meu mundo.

Posso cair num sono profundo,

Mas não te acho nada cruel.

Beijos de uma flor reflexiva…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s