Falar o quê?


7De vez em quando me pego pensando no que as pessoas querem dizer quando falam isto ou aquilo. A mesma sensação me vem quando observo obras de arte como fotografias, ou assisto filmes, vejo imagens, enfim.

Boa parte do tempo me questiono sobre a expressão humana. O que queremos de fato dizer? Nosso corpo realmente fala? Os olhos são a janela da alma? às vezes acho que não… Para mim a janela da alma é o sonho.

A necessidade de expressão do ser humano é inegável. Sempre existiu. A todo momento falamos, desenhamos, pintamos e bordamos, como bons humanos pensantes. Porém, há coisas que não dizemos nem para nós mesmos.

Há coisas que ficam no nosso inconsciente de tal forma arraigadas e escondidas, que nem nos damos conta delas. Mas a necessidade da expressão é tão forte que sonhamos com essas coisas. Os sonhos nos fazem ter ciência do que nossa consciência esconde.

E diante do nosso “falar o quê? Não há nada a ser dito”, sonhamos… Sonhamos com os afetos e desafetos. Sonhamos com as possibilidades e com o impossível.

Sonhamos, lembramos, esquecemos, vivemos, expressamos.

O não dito nos move e nem sempre é para um bom lugar. O não dito incomoda. Então a janela da alma (ou mente, ou psiquê, como queiram) se abre e nos expressamos para nós mesmos. Aí, de repente, falar com o outro se torna mais leve, Deixar o corpo falar se torna natural e achar palavras ou imagens que representem o que queremos expressar se torna um alento.

 

Abraços de uma flor sonhadora!

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s